Amanda Kalon, mulher guerreira

Amanda Kalon arquivo pessoal

Homenagem póstuma do Sindscope à militante Amanda Kalon

“Amanda gostava de ser o mundo, o mundo era ela quem fazia: mulher preta e favelada de uma espiritualidade tamanha que era difícil, até para os mais descrentes, não sentir sua presença forte”.

A breve descrição acima, extraída de um texto postado nas redes sociais, refere-se à Amanda Kalon, a quem o Sindscope presta homenagem póstuma por sua luta pelas pautas sociais.

Militante do combate ao racismo e a toda forma de discriminação, da defesa do respeito aos direitos dos bichos – passando pela arte e a educação de crianças na favela. Tomava para si, registrou o texto já citado, as lutas que ninguém mais queria.

Amanda, Senzy Nsala “Kalon” foi membro fundadora da Rede de Informações Anarquistas. Teve atuação destacada nas manifestações de junho de 2013 no Rio de Janeiro, quando milhões de pessoas foram às ruas em todas as regiões do país para protestar.

Os servidores do Colégio Pedro II aprovaram, em assembleia do Sindscope, essa pequena homenagem a Amanda, que deixa um exemplo de luta e coragem que seguirá para sempre presente!

IMPRENSA SINDSCOPE