Rio promove neste domingo (17) caminhada contra Intolerância Religiosa

 

Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) realiza neste domingo (17), a partir das 13h, na Praia de Copacabana (altura do Posto 6), a 10ª Caminhada contra a Intolerância Religiosa.

A caminhada vem reunindo nestes últimos 10 anos milhares de pessoas, de diversas crenças, que, a cada ano, reafirmam nas ruas a necessidade de se manter uma defesa intransigente da liberdade de crença e culto no país. A Comissão é formada por candomblecistas, umbandistas, católicos, judeus, muçulmanos, wiccanos, budistas, kardecistas, seguidores do santo daime, hare krishnas, evangélicos, ciganos, ateus e agnósticos. O grupo se formou após traficantes de drogas da Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio, expulsarem integrantes de matriz africana de suas casas. 

Nos últimos anos, a CCIR, que é a única comissão no mundo a reunir diversos tipos de credos em uma manifestação, vem chamando a atenção da sociedade para o perigo do crescimento da cultura de ódio difundida por setores conservadores da sociedade brasileira.

No Rio de Janeiro, casos de ataques a terreiros de candomblé e umbanda têm se intensificado. Segundo a polícia, somente em Nova Iguaçu, foram sete casos nos últimos dois meses. Líderes religiosos dizem que o número exato de ocorrências no estado deve ser bem maior, já que o Código Penal não tipifica o crime de intolerância religiosa. Nas delegacias, as ocorrências são registradas como casos de injúria.

“A Caminhada é um dos maiores pontos para o diálogo inter-religioso. O objetivo é promover as ações sociais contra todas as formas de violência, intolerâncias e racismos. De mãos dadas, vamos lutar em prol da liberdade religiosa. A intolerância, assim como o racismo, é um fenômeno social construído com o objetivo de cercear os direitos do outro. Compreendemos que a base para uma convivência sadia em nossa sociedade é a alteridade e o diálogo”, afirmou em entrevista o interlocutor da Comissão (CCIR), o babalawo Ivanir dos Santos.

Aluna do primeiro ano do ensino médio do CPII, Luana Nascimento contou que, juntamente com colegas do colégio, participará da atividade: "Esta caminhada é importante para a autoafirmacao de grupos religiosos e da juventude negra diante dos fatos de inolerância religiosa que vêm ocorrendo com frequência no Rio de Janeiro", disse.

 

Foto: 6ª Caminhada. Reprodução Internet