Rio terá ato na Candelária contra reformas e privatizações de Temer nesta 5° (14)

 

Dia nacional de paralisação contra o desmonte dos serviços públicos e a retirada de direitos trabalhistas e previdenciários terá a participação dos servidores do CPII 

IMPRENSA SINDSCOPE

O dia nacional de protestos e paralisações, organizado pelo funcionalismo público federal junto com outras categorias para 14 de setembro, terá ato ao fim da tarde no Centro do Rio.

A concentração será na Igreja da Candelária, a partir das 16 horas, de onde os manifestantes devem sair em direção à sede da Petrobras, acessando a av. Chile, e de lá para a Cinelândia, local previsto para o encerramento do ato.

A passagem pela Petrobras busca marcar a rejeição às privatizações em curso pelo governo Temer – no caso da estatal do petróleo, está havendo o chamado “desenvestimento”, que na prática leva à privatização fatiada e disfarçada da empresa.

A ida à sede da empresa é também parte da articulação da unificação dos movimentos e categorias que se opõem às políticas adotadas pelo presidente Michel Temer.

Já pela manhã, trabalhadores metalúrgicos, que também protestam nacionalmente nesta data, pretendem fazer um ato em frente à Petrobras, cujo início está marcado para as 7 horas.

Estas definições foram tomadas na plenária unificada dos movimentos populares e sindicais, ocorrida na noite da segunda-feira (11), na sede do Sindicato dos Petroleiros do Rio (Sindipetro-RJ). Representantes de 40 entidades sindicais e populares participaram da plenária.

CPII vai parar 

Os servidores do Colégio Pedro II vão participar da manifestação. Na assembléia geral da categoria, ocorrida na manhã da segunda (11), decidiu-se ainda aderir à paralisação nacional de 24 horas, que também contesta os cortes de verbas em áreas como educação e saúde, as reformas da Previdência e trabalhista e a Lei das Terceirizações. 

O pacote de medidas contra os serviços públicos anunciado por Temer – que inclui o congelamento de salários em 2018 e o aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14% – também é alvo dos protestos.

Reunião no Sindscope

Reunião do Comando de Mobilização, na própria quinta-feira (14), às 14 horas, na sede do Sindscope, em São Cristóvão, definirá detalhes da participação coletiva da categoria no ato marcado para a Candelária.

IMPRENSA SINDSCOPE